sábado, 28 de agosto de 2010

Hey boy,

vê se para com essa tara de viver do passado. Olha pra frente e segue rente, rumo a todo esse mundo que um dia será teu. Já cansei de ler nas tuas entrelinhas que um simples olhar te põe no poço e na sarjeta, cansei de ser bruxa má. Se a dor do esquecer for maior que a do lembrar, junte seus tijolos e reconstrua um novo velho castelo porque sabes, o terreno será sempre teu. Pinte os muros e corpos que prometestes pintar, seja rápido, dance no compasso, não faça como eu. Não esquece que o tempo voa e que a vida pode passar sem ser boa. Não viva a desgraça de chegar aos quarenta, virar uva-passa e descobrir que o tempo de arriscar e chorar já passou. (mesmo que nunca seja tarde para ligar)

1 comentario:

Tiago dijo...

"vê se para com essa tara de viver do passado. Olha pra frente e segue rente, rumo a todo esse mundo que um dia será teu." Hummmm... puro Nietzsche. Uma das três maneiras de fazer história! Sendo essa a História Crítica!!